erros de impressão

Gostava de evitar os erros de impressão mais comuns? Já lhe aconteceu enviar um ficheiro para impressão, e receber uma surpresa desagradável como resultado final?

Na WorkStation, temos o cuidado de verificar várias vezes com o cliente, para garantir que estas situações não acontecem. Contudo, nem em todos os lados funciona assim!

Para que os seus projetos gráficos não se transformem em verdadeiros pesadelos, saiba como é que deve preparar os seus arquivos para impressão de forma correta, e evite estes erros de impressão mais comuns:

1. Não use imagem de baixa resolução.


Algumas imagens, especialmente as retiradas da internet tem uma resolução reduzida, para evitar que estas tornem as páginas de navegação mais lentas. Porém, para impressão, é ideal que as imagens tenham uma resolução de 300 DPIs, caso contrário, correm o risco de perder alguma definição.

Procure escolher imagens com maior resolução, ou utilize um programa de edição (como o Corel, Photoshop ou Illustrator) e reduza a imagem para 24% do tamanho original. Neste caso, se a imagem tiver 10 cm no tamanho original, poderá utilizá-la no máximo 2,4 cm.

Recorde-se que estas imagens estão, modo geral, no sistema de cores RGB, e as deve converter para CMYK.

2. Respeite as margens de segurança.


Estas margens de segurança representam o que ficará em excesso no momento da impressão. Tratam-se de apenas alguns milímetros, mas se os ignorar poderá ficar com o seu projeto gráfico cortado, ou com uma margem branca indesejada.

erros de impressão


3. Não envie arquivos em Word, PowerPoint ou Excel.


Embora estes programas possam ser úteis para criar um primeiro rascunho do seu projeto gráfico, ou reunir informações relevantes sobre ele, estes não são capazes de compreender o sistema de cores CMYK, nem controlar a resolução das imagens, e por isso não são ideias para enviar para impressão. Se for necessário, converta-os para programas de edição como o Photoshop, Illustrator ou Corel.

4. Tenha cuidado com Dégradés e blends.


É frequente que dégradés ou blends subtis sejam ignorados no momento de impressão, ou que os mesmos pareçam diferentes no resultado final. Caso precise mesmo de criar este tipo de efeitos, faça-o em programas de edição como os já mencionados (por exemplo, Photoshop).

erros de impressão

5. Escreva e releia várias vezes.


Mesmo que todos os textos tenham sido escritos por si, não se esqueça de os rever várias vezes, e até mostrar a outras pessoas, para ter a certeza que nenhum erro ortográfico, ou de digitação lhe passa despercebido.

Sempre que possível, imprima em tamanho original uma amostra, e releia em voz alta, para detectar algum erro que tenha escapado, antes de avançar para a impressão final.

6. Escolha a tonalidade certa do preto.


Nas impressões, regra geral é utilizado o sistema de cores CMYK. Contudo, o preto puro (que corresponde a C-0, M-0, Y-0, K-100), pode não traduzir a cor preta forte que estará à espera. De grosso modo, a combinação C75, M68, Y67, K90, traduz-se num preto denso e equilibrado, que não compromete a qualidade da impressão.

Caso o seu projeto inclua textos com fontes menores de 12 pt, deve fazer o “trap”, que é colocar um contorno de 0,2 mm com apenas preto nas letras, evitando o entupimento das letras.

O preto também pode apresentar resultados indesejados quando aplicado em degradês, podendo na transição entre as cores ficar opaco.
Neste caso você deve “calçar” o preto com a mesma porcentagem da cor do lado oposto.

7. Calibre o monitor para CMYK.


Regra geral os ecrãs dos dispositivos eletrónicos, como é o caso do seu computador, estão calibrados no sistemas de cores RGB, mas em impressão o mais indicado é o CMYK. Esta diferença pode parecer pequena, contudo, pode fazer com que o resultado final impresso não corresponda ao esperado.

Para ter a certeza que o seu projeto impresso é tudo o que idealizou, calibre o monitor do seu computador para o sistema CMYK. Assim poderá trabalhar tendo a certeza do aspeto que o projeto terá quando for enviado para impressão.

8. Converta textos em curvas.


Converta todos os textos em curvas para que os tipos de letra utilizados originalmente se mantenham, e as páginas não fiquem desformatadas no processo de impressão.

Por segurança, envie também os tipos de letra utilizados para a gráfica, juntamente com o trabalho a imprimir. Isto porque, no caso de algum erro ser detetado, exista ainda uma oportunidade de os corrigir.

converter texto em linhas

9. Lembre-se o PDF é seu melhor amigo.


Depois de ver e rever o seu projeto gráfico, quando tiver a certeza de que não há nenhum erro, converta o seu projeto em PDF e envie-o assim para impressão.

Antes de o fazer, não se esqueça de verificar que o seu arquivo está em 300 DPIs, as cores convertidas para CMYK, com as marcas de segurança respeitadas e os textos convertidos em curvas, para que tudo fique perfeito.

Boa sorte, e menos erros de impressão!

impressão porto workstation

    Como nos encontrou?

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Com dúvidas?