tipos de impressão

Terminou o seu projeto gráfico, mas não sabe qual o tipo de impressão mais indicado?

Quando criamos campanhas de publicidade para a nossa marca, depois de tratarmos da parte de design, e temos que o enviar para impressão numa gráfica, começam a surgir dúvidas sobre qual a melhor opção para nós.
Neste artigo vamos partilhar consigo tudo o que precisa de saber sobre os diferentes tipos de impressão, para que possa escolher a melhor para si.

1. Impressão offset

A impressão offset é uma das formas mais antigas de impressão, que ainda é utilizado hoje em dia, e das mais conhecidas. Esta é uma forma de impressão indireta, uma vez que a tinta não é colocada diretamente na superfície a ser impressa, mas assim através de uma matriz que serve como intermediária no processo.

Por exigir que seja criado um molde inicial, este tipo de impressão é mais dispendiosa para tiragens com poucas quantidades. Estes são os seus principais benefícios:

  • Perfeita para grandes quantidades;
  • Impressão rápida;
  • Resultados de alta qualidade;
  • Pode ser utilizada para vários tipos de gramagem de papel e plástico.

O offset é muito usado em cartões de visita, cartazes, folders e livros, pois trabalha com folhas soltas. Também é ideal para revistas e jornais, materiais que tendem a exigir altas tiragens. Para além disso, as cores são impressas separadamente, e por esse motivo, os ficheiros enviados devem estar sempre no sistema de cores CMYK.

2. Rotogravura

Neste processo de impressão é utilizada uma matriz de baixo relevo no cilindro da impressora, e por isso é também conhecida como processo de impressão em baixo relevo.

Esta matriz é formada por um cilindro de cobre perfeitamente uniforme, gravado e cromado. A rotogravura é indicada para a impressões de grandes tiragens e os seus resultados produzem impressões de grande qualidade, especialmente em papéis de baixa gramagem.

3. Serigrafia

A serigrafia é um processo de impressão em que é usada uma tela (geralmente de nylon), sobre uma moldura de madeira ou alumínio, e a tinta é libertada através de um puxador. Esta matriz, ou seja, a tela é preparada com um químico fotosensível e colocada sobre um fotolito que fica em cima de uma mesa de luz. Os pontos escuros são depois preenchidos pela tinta, e as cores claras são impermeabilizadas à medida que o líquido fotossensível entra em contacto com a luz.

É utilizada na impressão de adesivos , chaveiros, tecidos, canetas, PVC, vidro, madeira, entre outros.

4. Tampografia

A tampografia é o processo que permite a impressão em todo o tipo de superfícies, com diferentes formatos e relevos. Consiste na transferência da imagem para o material através de uma peça de silicone, designada de tampão, que se molda à forma do objeto a estampar.

Pela sua facilidade de adaptação, é muito utilizado em vários brindes, geralmente de pequeno formato, como canetas, canecas e porta-chaves.

5. Hot-Stamp, ou estampa quente

À semelhança da tipografia, é usada uma matriz que é aquecida e pressionada sobre uma tira de material sintético revestido de uma camada de metal fina. Quando a camada metálica é pressionada, desprende-se da matriz e adere à superfície do material a ser impresso.

6. Impressão digital

Ao contrário da offset, a impressão digital é feita sem o intermédio de uma matriz, mas diretamente a partir de um arquivo digital (como por exemplo, um PDF). Isto faz com que tenha uma melhor relação quantidade-preço para projetos de menor tiragem. Os seus principais benefícios são:

  • tempo menor de execução;
  • provas de impressão mais baratas;
  • sem necessidade de reparo de cores;
  • secagem rápida.

7. Impressão 3D

A impressão 3D consiste numa série de técnicas que nos permitem “imprimir” objetos em três dimensões. Para tal, são usadas impressoras que formam modelos tridimensionais, a partir de uma técnica que vai sobrepondo finas camadas de matéria, até que o objeto esteja pronto.

Com esta técnica é possível imprimir praticamente tudo, desde jóias a objetos de decoração, dependendo apenas dos materiais utilizados para a impressão, que podem ir do plástico ao metal, e a dimensão da máquina.

Esta técnica é cada vez mais popular entre quem deseja construir um negócio, ou criar produtos inovadores, uma vez que permite reduzir o tempo necessário e os custos de criação de protótipos.

Se antes era necessário desenvolver todo um projeto, e procurar múltiplos fornecedores de diferentes materiais e peças, com a impressão 3D basta desenhar o item num software compatível com a máquina, para materializar o protótipo. É óbvio que será necessário dominar o software necessário, mas na WorkStation podemos ajudá-lo, desde a conceção da sua ideia, até à impressão do objeto.

impressão porto workstation

    Como nos encontrou?

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Com dúvidas?